Vila Autódromo ganha novo plano popular de urbanização

Compartilhar:

4A Vila Autódromo passou por uma semana intensa, marcada pela demolição da Associação de Moradores, do centro religioso da Yalorixá Luizinha de Nanã e pela quase demolição da casa da moradora Maria da Penha Macena, conhecida como “Dona Penha”. Nosso mandato esteve presente e acompanhou de perto essas ofensivas da prefeitura. No sábado (27), houve a apresentação da versão 2016 do Plano Popular de Urbanização da Vila Autódromo, com a presença de centenas de pessoas.

O Plano, feito a partir da parceria entre os moradores e as Universidades UFF e UFRJ, é fruto de muito debate e atende às necessidades dos moradores, contemplando a possibilidade de uma moradia digna, em um local com infraestrutura, saneamento e espaços de lazer. Sua versão inicial foi lançada em 2012, mas ele foi sendo reformulado para compatibilizar a permanência do máximo possível de casas, com as intervenções que a Prefeitura sinalizava para a área em função das obras do Parque Olímpico.

Cerca de 300 pessoas estiveram na Vila Autódromo para acompanhar a demarcação dos lotes que dariam lugar à implementação do plano, e defender essa proposta popular de urbanização. Além de um diverso grupo de apoiadores, a atividade contou com a presença da equipe do Plano Popular, formada por integrantes do NEPLAC/ETTERN/IPPUR (Núcleo Experimental de Planejamento Conflitual do Laboratório Estado, Trabalho, Território e Natureza do IPPUR da UFRJ) e do NEPHU (Núcleo de Estudos e Projetos Habitacionais e Urbanos da UFF). Estavam presentes também a Defensoria Pública Estadual do Rio de Janeiro, através do NUTH (Núcleo de Terras e Habitação), e o Defensor Público Geral do Estado. O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), os vereadores Babá (PSOL) e Reimont (PT), e o deputado federal Chico Alencar (PSOL), além do nosso mandato, representado pelo vereador Renato Cinco (PSOL) e alguns de seus assessores, também participaram da atividade.

Durante a apresentação, o urbanista Carlos Vainer, coordenador do NEPLAC, afirmou que “são os moradores que decidem os objetivos e como o plano será feito! (…) O Plano Popular rejeita a remoção involuntária dos moradores! (…) Moradia não é uma casa, é um espaço social, é uma vivência coletiva da cidade”.

O Prefeito Eduardo Paes, entre outras autoridades como o COI (Comitê Olímpico Internacional), recebeu dos moradores, através de um ofício enviado pelo Presidente da Associação de Moradores, o convite para participar do lançamento. Porém, apesar de já ter se manifestado publicamente em várias oportunidades no sentido de que “quem quiser ficar na Vila Autódromo, poderá ficar”, o Prefeito não compareceu, nem respondeu ao convite. Ao contrário, funcionários da Prefeitura permanecem assediando os moradores, espalhando boatos de que ninguém permanecerá na comunidade.

Diante disso, moradores deram início a uma campanha nas redes sociais, em que cada pessoa grava um vídeo questionando o Prefeito sobre quando ele começará a urbanizar a comunidade e desafia outras três a fazer o mesmo, utilizando sempre a hashtag #UrbanizaJá. Além do vereador Renato Cinco, outros parlamentares, como os deputados estaduais Marcelo Freixo, Flávio Serafini e Eliomar Coelho; o Comitê Popular da Copa e Olimpíadas do Rio de Janeiro; e personalidades como Camila Pitanga, Gregório Duvivier e Zélia Duncan já aderiram. Veja o que já rolou buscando por #urbanizajá no Facebook e acompanhe a agenda de atividades pela página da Vila Autódromo.

No próximo sábado (05), às 14h30, acontecerá o lançamento do livro de Raquel Rolnik, “Guerra dos Lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças”, na Vila Autódromo.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *