Repúdio ao racista do bar Garota da Tijuca

Compartilhar:

8Na última sexta-feira (20), o gerente do bar Garota da Tijuca, Ascendino Correa Leal, de 68 anos, foi preso em flagrante por injúria racial, após oferecer bananas a dois entregadores de bebidas negros como “homenagem” pelo “Dia da Consciência Negra”.

Como o boletim de ocorrência foi registrado como “injúria racial”, Ascendino foi liberado após pagar fiança de R$ 800,00. Ele permaneceria preso se o caso fosse registrado como racismo, já que se trata de crime inafiançável.

Em discurso no plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco comentou sobre o caso, cobrou a demissão do gerente e um pedido de desculpas formal do estabelecimento. “Ele não cometeu injúria racial, não. Isso foi racismo. Porque ele se direcionou a toda coletividade negra do nosso país; porque ele usou o ´Dia da Consciência Negra´ para exercer o seu ato de racismo”, declarou.

Veja a íntegra do discurso:

Cinco também divulgou os atos de repúdio ao racismo que estão marcados para a porta do bar Garota da Tijuca. A manifestação “Mais do que uma banana para o Garota da Tijuca” está, até o momento, com 15 mil confirmados no facebook. Ela será realizada no dia 28 de novembro (sábado), a partir das 21h, em frente ao restaurante. E no dia 27, está sendo convocado pelo facebook, com três mil confirmados, o protesto “Racismo Indigesto, boicote/ racista Garota de Tijuca”.

Evento no facebook

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *