Professor Emílio Araújo é homenageado

Compartilhar:

3Na última quarta-feira (28), o salão de debates do Espaço Plínio foi batizado em homenagem ao professor Emílio Araújo, que faleceu em 03 outubro de 2013. Emílio foi apoiador do nosso mandato, contribuindo como especialista em educação pública. Neste dia também foi realizada mais uma atividade de formação “Resgatando os Clássicos”, com Roberto Leher (professor e reitor da UFRJ), debatendo o tema “Florestan Fernandes e a revolução brasileira”.

Naira Fonseca Fois, ex-esposa de Emílio, participou da atividade e lembrou da trajetória militante do professor. “Essa homenagem ao Emílio se estende a todos os lutadores. Afinal, ele estava sempre presente em todos os espaços onde achava necessário para tornar o mundo melhor. Mais do que um militante de todas as frentes, ele foi um companheiro que se entregava de corpo e alma em tudo que fazia,” disse.

“Homenagear os militantes que se foram é manter viva as lutas e as bandeiras. Essa homenagem ao Emílio começa hoje e o nosso desafio é manter este local (Espaço Plínio) como um lugar de resistência e articulação de lutas populares. Essa é a maior homenagem que podemos fazer,” declarou o vereador Renato Cinco.

Emílio participou da reconstrução do DCE da UFRJ e contribuiu na fundação do PT. Professor de educação física, deu imensa colaboração na organização do sindicato da categoria – o SEPE, do qual foi diretor no final dos anos 80 e início dos 90. Com firmeza, fazia o bom debate. As divergências ficavam nas assembleias e nunca impediram o seu convívio fraterno com quem pensava diferente. Em 2006 filiou-se ao PSOL. Foi candidato à prefeitura de Nova Iguaçu nas eleições de 2012.

Em outubro de 2013, durante o feroz cerco militar à Câmara de Vereadores do Rio , por conta da votação da proposta de plano de carreira da educação, Emílio sentiu-se mal, reclamando de dores no ouvido. Imbuído do sentimento de militante, não foi embora, permanecendo até o final do desfecho desse trágico dia para os profissionais de educação.

No dia seguinte, amigos o procuraram, mas não conseguiam fazer contato. Emílio foi encontrado em casa desacordado e levado para o Hospital da Posse, onde faleceu.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *