O PMDB é responsável pela calamidade pública do Rio

Compartilhar:

O decreto do governador Francisco Dornelles, que colocou o Rio em estado de calamidade pública, é mais uma ação nefasta do PMDB. O próprio texto do decreto deixa claro que não se busca atender a necessidades básicas da população, já que o objetivo do mesmo é garantir o aparato de segurança para a realização dos jogos olímpicos.

Em entrevista recente, o governador Dornelles declarou que o repasse de verbas feito pelo governo federal para atender a “calamidade” não será utilizado para o pagar o salário de servidores. No mês de junho, além do já tradicional atraso no pagamento, os trabalhadores do governo estadual estão recebendo de forma parcelada. 

Em discurso no plenário, o vereador Renato Cinco apontou as gestões de Sérgio Cabral e de Pezão como os maiores desastres do Rio de Janeiro na última década.

“Houve uma total irresponsabilidade com a utilização dos royalties do petróleo. Sofreram a chamada ‘febre do petróleo’. Trataram os recursos que vinham do petróleo supervalorizado do mercado internacional como se fossem recursos eternos, que nunca nos faltariam”, declarou.

Cinco também lembrou que a Prefeitura do Rio repete os mesmos erros administrativos do governo estadual, além de usar de manobras para fingir que a maior parte dos gastos com as olimpíadas é pago pela iniciativa privada.

“Nesses quase oito anos de mandato, o Prefeito Eduardo Paes retirou dos cofres públicos o montante que ultrapassa a marca de R$ 11 bilhões, para gastar direta ou indiretamente com as Olimpíadas. Não são R$ 732 milhões; são R$ 11 bilhões”, explicou.

Veja a íntegra do discurso:

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *