Por que é importante escolher um candidato a vereador?

Compartilhar:

Muitos eleitores preferem votar no número de legenda dos partidos a escolher um nome para o cargo legislativo. Mas, neste ano, isso pode significar jogar o voto fora.

Com a aprovação da reforma eleitoral patrocinada por Eduardo Cunha, os candidatos que não obtiverem pelo menos 10% do quociente eleitoral (cerca de seis mil votos) estarão fora da disputa.

Então, se o PSOL obtiver – com base em votos de legenda – cinco vagas e só tiver quatro candidatos a vereador com mais do que o percentual mínimo exigido, uma cadeira será perdida.

Indecisos

Levantamento realizado entre os dias 19 e 21 de setembro pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa Social (IBPS) indica que quase 51% dos eleitores cariocas ainda não sabem em quem vão votar para vereador.

O dado acima demonstra que, além de escolher um candidato que o represente, é importante conversar com amigos, parentes e vizinhos, explicando a nova regra eleitoral e pedindo o voto no número do seu candidato.

O número de Renato Cinco é 50555 . Agora falta pouco!

Compartilhar:

Ocupar a Lapa e a praia para reeleger Renato Cinco

Compartilhar:

A campanha de Renato Cinco vai ocupar a Lapa e a praia de Ipanema no próximo final semana. Estas serão as últimas grandes atividades antes do primeiro turno da eleição. Será o momento de conquistar muitos votos já que, de acordo com o instituto IBPS, 50,7% dos cariocas ainda não escolheram candidato para vereador.

 

Nas noite de sexta (30), acontecerá o “arrastão” antiproibicionista pelas ruas da Lapa. A concentração será realizada, às 21h, no Comitê (Rua da Lapa, 107).

 

Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/1799336670307013/

 

No sábado (01), ocorrerá o “arrastão” antiproibicionista na praia de Ipanema. A concentração será realizada, às 13h, na altura do nº 420 da Av. Vieira Souto.

 

Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/169665403478787/

Compartilhar:

Outra politica de drogas é possível?

Compartilhar:

Confira nossa animação que conta um pouco da atuação do mandato Renato Cinco 50555 em relação à política de drogas.

Renato Cinco é reconhecido por sua luta contra a “guerra às drogas”, que produz o genocídio da juventude negra e pobre. Por isso, participa da organização da Marcha da Maconha e do Movimento pela Legalização da Maconha.

Como vereador, seu primeiro ato foi apresentar o requerimento da CPI das Internações Compulsórias. A CPI não foi instalada por pressão contrária do prefeito e de sua base. Um ano e meio depois, ficou claro que essa CPI investigaria os contratos, suspeitos de fraudes, do Executivo Municipal com as Comunidades Terapêuticas.

A trajetória de Cinco no parlamento foi orientada pela certeza de que a política municipal que deve ser adotada para o usuário de drogas é o cuidado. Nesse sentido, defende ações de Redução de Danos e mais investimentos na Rede de Atenção Psicossocial e nos serviços públicos garantidores de direitos humanos. São necessários 32 CAPS AD e existem apenas 8.

Com a Copa e as Olimpíadas, a cidade viveu uma verdadeira limpeza urbana. Os mais pobres foram empurrados para áreas distantes da região turística. O recolhimento compulsório continua sendo utilizado em favor dessa lógica. Isso não pode continuar!

Basta de guerra aos pobres! Por outra política de drogas na cidade do Rio!

Pelo socialismo e pela liberdade, vote 50.555!

Compartilhar:

Prisão Olímpica

Compartilhar:

A preparação do Rio de Janeiro para sediar os jogos olímpicos contou com alguns elementos que passaram longe das lentes e análises da grande mídia. Um deles foi o aumento do encarceramento, principalmente de presos sem condenação. Estes dados constam no relatório “Quando a liberdade é exceção”, elaborado pela Justiça Global e pelo Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura (MEPCT/RJ).

Em termos gerais, o estado do Rio de Janeiro registrou, em dezembro de 2015, mais de 44.600 presos e presas. Sete meses depois, na véspera de recepcionar as Olimpíadas de 2016, o estado chegou à marca dos 50 mil presos, sendo que 22 mil (44%) estavam em caráter provisório.

“A intensificação do controle urbano no contexto dos megaeventos no Rio de Janeiro é evidente. Esse processo articula a militarização da cidade, a criminalização da pobreza, a violência policial e, sem dúvida alguma, impacta diretamente no aumento do encarceramento em massa, sobretudo de pessoas negras e pobres”, relata Renata Lira, do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura.

A pesquisa também identificou um expressivo aumento de prisões de mulheres acusadas de tráfico de drogas, que passou de 64 em 2013 para 643 em 2014, um crescimento de 1004%.

Em discurso no plenário da Câmara Municipal, Renato Cinco comentou sobre como a militarização da cidade na preparação dos megaeventos está relacionada com o aumento do encarceramento.

Veja a íntegra do discurso:

 

https://www.youtube.com/watch?v=ZK0_TGron_s

 

Leia o relatório “Quando a liberdade é exceção”:

 

http://www.global.org.br/wp-content/uploads/2016/09/quando-a-liberdade-e-excecao.pdf

Compartilhar:

Freixo na Record

Compartilhar:

O próximo debate entre candidatos à prefeitura do Rio será promovido pela Rede Record, neste domingo (25), a partir das 22h45min. O encontro será transmitido pela TV e também pelo site www.r7.com.

 

Marcelo Freixo (PSOL), Marcelo Crivella (PRB), Jandira Feghali (PCdoB), Indio da Costa (PSD), Flávo Bolsonaro (PSC), Carlo Osório (PSDB) e Alessandro Molon (Rede) já estão confirmados.

 

O candidato do PMDB, Pedro Paulo, não assinou as regras da emissora e até o momento não está confirmado para participar do programa.

 

O evento terá duração de 02h30 e será dividido em 4 blocos, com mediação da jornalista Janine Borba.

Será mais uma excelente oportunidade para a exposição de ideias e propostas, além do confronto direto com os que se escondem atrás de propagandas enganosas.

Compartilhar:

Milhares lotam a Carioca com Freixo e Luciana

Compartilhar:

Uma bela noite! O Largo da Carioca foi palco do Comício Mudar é Possível, nesta quinta-feira (15), com Marcelo Freixo e Luciana Boiteux. Milhares de pessoas ocuparam a praça pública para reafirmar que a arrancada para o segundo turno da eleição será nas ruas! Vamos levar o #50 para todos os cantos da cidade, com toda força, esperança e vontade de tornar o Rio em uma cidade mais democrática e justa! Vamos que vamos, que vai ser desse jeito que o Rio de Janeiro vai ter Freixo 50 Prefeito! É possível!

A página de Renato Cinco no facebook transmitiu a atividade ao vivo. Confira como foi:
(veja também as fotos abaixo)

Fotos: Flickr Marcelo Freixo:

29084928254_f202272125_k

29084932234_f1f04d3b87_k

29084962274_06c923f341_k

29086735313_3b3e75fc78_k

29099982534_e9d03b06dd_k

29420288420_d72c28c3b1_k

29630233801_0e0e797697_k

 

Compartilhar:

Bolsa larica? Cinco comenta Debate da RedeTV!

Compartilhar:

Renato Cinco aproveitou o último “Na roda com Cinco” para comentar o debate entre os candidatos a prefeito realizado pela “Rede TV!” na última sexta-feira (09). Como não poderia deixar de ser, Cinco se dedicou à pergunta feita por Flavio Bolsonaro a Marcelo Freixo sobre legalização das drogas.

 

Na réplica, Bolsonaro disse que os vereadores antiproibicionistas do PSOL iriam propor a “Bolsa Larica” na Câmara. Essa proposta nunca foi apresentada por nós, mas a militância curtiu a sugestão!

Confira!

Compartilhar:

Adeus, Cunha!

Compartilhar:

Nesta terça-feira (13), em discurso no plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco comemorou a cassação do mandato de Eduardo Cunha (PMDB-RJ).


Cinco cobrou de Cunha as promessas de contar os podres de Brasília e comentou sobre a gravidade da crise política. “Não se trata apenas de um indivíduo corrupto. Nós temos um sistema podre, que precisa ser radicalmente modificado,” declarou. Veja o vídeo:

 

Compartilhar:

Freixo no Debate da RedeTV!

Compartilhar:

Depois da maioria do Supremo Tribunal Federal decidir que os candidatos bem colocados nas pesquisas e convidados pelas emissoras podem participar dos debates de TV, chegou a vez de Marcelo Freixo mostrar suas propostas na telinha.

Com apenas 11 segundos de propaganda eleitoral gratuita, o candidato do PSOL optou por convidar o telespectador a “ir para a internet” e intensificou a campanha nas ruas e nas redes.

O debate na Rede TV será uma excelente oportunidade para a exposição de ideias e propostas, além do debate direto com os que se escondem atrás de propagandas enganosas.

De fora do primeiro debate, Freixo foi para a praça pública, onde reuniu mais de cinco mil pessoas e, com a ajuda de um telão, participou ao vivo do debate (confira aqui como foi), mesmo tendo sido barrado por outros candidatos.

“Não participar dos debates é uma injustiça. Em nenhum lugar do mundo o candidato em segundo lugar nas pesquisas fica de fora dos debates. Ainda assim fomos para a praça pública e conseguimos realizar um fato: mais gente participou do nosso ato na Cinelândia do que assistiu ao debate pela TV”, disse.

O candidato do PSOL, Marcelo Freixo, estará no debate promovido pela Rede TV, nesta sexta-feira (09), a partir das 22h15. O encontro tem como parceiros a revista Veja, o portal UOL e a rede social Facebook.

O evento será transmitido no comitê de campanha de Renato Cinco. A partir das 21h. CONFIRME SUA PRESENÇA NO EVENTO DO FACEBOOK AQUI

Compartilhar:

Apologia ou liberdade de expressão?

Compartilhar:

A última sexta-feira poderia ter sido mais um dia comum de campanha. Infelizmente, não foi. Chegou até nós, através dos jornais, a notícia de que a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) solicitou à Promotoria Eleitoral do Rio uma investigação sobre a nossa campanha. Segundo o PRE, o uso da folha da maconha nos materiais impressos e virtuais pode configurar apologia ao crime, já que o consumo dessa droga é ilícito no país.

Em 2009, Renato Cinco foi um dos subscritores da Representação, dirigida à Procuradoria-Geral da República (chefia do MPF), que deu origem à Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 187. Nesta ação, por decisão unânime, em junho de 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a legalidade das manifestações públicas, inclusive da Marcha da Maconha, em defesa da legalização das drogas. Confira a ação clicando aqui.

Pela decisão, o artigo 287 do Código Penal, que trata de apologia, deve ser interpretado de forma a não impedir manifestações públicas em defesa da legalização das drogas.

O debate acerca da legalização e da descriminalização das drogas não pode ser confundido, de forma alguma, com apologia! Entendemos as eleições como um momento de diálogo com a sociedade, em que temas relevantes devem ser discutidos. A nossa perspectiva sobre a legalização vai muito além da defesa das liberdades individuais e do direito de cada um fazer o que quiser com o próprio corpo. É pautada, principalmente, na denúncia de que a guerra às drogas é, na verdade, uma guerra aos pobres, um extermínio da população jovem, negra e periférica.

Ainda não recebemos nenhuma notificação oficial sobre o pedido de investigação. De toda forma, seguiremos na luta pela legalização e pelo fim da guerra aos pobres. Outra política de drogas é possível!

Assista aqui ao último “Na Roda com Cinco”, que aconteceu no domingo passado (28) e abordou essa questão.

Leia aqui o release divulgado pelo PRE.

Compartilhar: