Aldeia Maracanã resiste!

Compartilhar:

Na última segunda-feira (16), a Aldeia Maracanã foi mais uma vez violentamente desocupada pelo Batalhão de Choque. Sem que houvesse qualquer ordem judicial, policias militares levaram presos, para a 18ª Delegacia de Policia (DP), diversos indígenas e ativistas que estavam no local. A maioria foi liberada após prestar depoimento, enquanto um manifestante saiu sob fiança.

O indígena José Guajajara permaneceu no terreno da Aldeia, resistindo no alto de uma árvore por mais de 26 horas após a desocupação. Manifestantes e apoiadores que permaneceram próximos ao local tentavam lhe entregar água e comida, mas eram impedidos pela Policia Militar (PM), que se negava a negociar. Na manhã de terça-feira (18), Guajajara foi retirado da árvore, com a ajuda do Corpo de Bombeiros. José passou rapidamente pelo Hospital Souza Aguiar e foi encaminhado para a 18ª DP.

O governo do estado afirmou que se baseou numa decisão judicial de março deste ano para a desocupação do local. Entretanto, a Justiça Federal informou que o processo relativo à Aldeia Maracanã esta suspenso desde agosto e que não houve novo mandado para a desocupação.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *