Ajuste fiscal ataca os trabalhadores

Compartilhar:

2Na segunda-feira (14), o governo federal anunciou uma ampliação do ajuste fiscal com medidas que afetam, principalmente, o bolso dos trabalhadores. Para economizar R$ 26 bilhões, Dilma vai adiar o reajuste de servidores federais, suspender concursos públicos, reduzir a verba do “Minha Casa, Minha Vida”, entre outros absurdos.

No plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco lembrou que, somados, todos os cortes anunciados representam menos de 5% do que foi gasto este ano pelo governo federal,  até 1º de setembro, com o pagamento de juros da dívida pública.

“Atacam a capacidade do nosso Estado de atuar em benefício dos trabalhadores, em nome de uma economia que corresponde a menos de 5% do que foi gasto com a renumeração do capital que investe nos títulos da dívida pública. Esse é o verdadeiro assalto aos cofres do povo brasileiro,” declarou Cinco.

Veja a íntegra do discurso:

Cinco destacou a importância de uma reforma tributária que aumente a faixa de isenção, aliviando o bolso dos trabalhadores que recebem menos do que o salário mínimo estabelecido pelo DIEESE (cerca de R$ 3000,00), e crie o imposto sobre grandes fortunas.

“Essa CPMF, que alguns dos governos estão vendendo como imposto sobre os ricos, não é um imposto progressivo, é a mesma alíquota, independente da movimentação financeira que o sujeito fizer na sua conta. Se vai ter algum tipo de imposto na movimentação financeira, esse imposto tem que ser progressivo, tem que ser isento para quem movimenta apenas o seu salário nos bancos, e tem que ser altíssimo para quem movimenta centenas de milhões e bilhões de reais”, defendeu.

Outro ponto destacado pelo vereador foi a realização da auditoria da dívida pública, prevista na Constituição de 1988, mas ignorada por todos que presidiram o país neste período.

Para repudiar o ajuste do governo Dilma, acontecerá na sexta-feira (18), em São Paulo, a “Marcha Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras”. Participe da caravana que sairá do Rio rumo a São Paulo, enviando um e-mail para plenariadetrabalhadoresemluta@gmail.com com nome completo, RG, órgão expedidor e telefone para contato.

MARCHA-CARTAZ-60X40

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *